Home
Direção-Geral do Consumidor
    Ministério da Economia e Mar
    DGC

    Livro de Reclamações - Estatística referente ao 1º semestre de 2022

    Livro de Reclamações

    A Direção-Geral do Consumidor, no âmbito das suas atribuições, divulga periodicamente a síntese estatística relativa aos dados das reclamações exaradas no Livro de Reclamações.

    No primeiro semestre de 2022 foram submetidas um total de 95 665 reclamações na plataforma do Livro de Reclamações Eletrónico, constatando-se um decréscimo de 16% face ao período homólogo de 2021.

    No que respeita ao número de reclamações que incidiram sob os serviços públicos essenciais, destacam-se as comunicações eletrónicas e serviços postais (39 373 reclamações) e, a eletricidade e gás natural (10 005 reclamações) – sendo estes os setores mais reclamados no universo dos serviços públicos essenciais.

    Relativamente às entidades reguladoras e fiscalizadoras que tratam um maior número de reclamações, no 1º semestre de 2022 verificou-se que a ANACOM (39 373 reclamações), a ASAE (22 119 reclamações) e a ERSE (10 005) - foram as entidades que registaram o maior número de reclamações.

    No que concerne ao setor do comércio e retalho, é na distribuição e na venda/reparação de equipamentos elétricos e eletrónicos que se regista o maior número de reclamações.

    Sobre os motivos/razões mais invocados/transversais à maioria dos setores invocados no 1º semestre de 2022, destacam-se


    1) A qualidade no atendimento ao cliente;
    2) A faturação e cobrança; e
    3) As questões contratuais.


    No 1º semestre de 2022, o índice de satisfação do consumidor relativo ao processo de elaboração da reclamação é de 3,2 (escala de 1 a 4).

    Consulte aqui a Ficha síntese - Reclamações exaradas no livro de reclamações no 1º Semestre de 2022

    • Livro de Reclamações
    • Atendimento ao Consumidor
    • Publicidade
    • Segurança de Produtos
    • Fundo do Consumidor
    • Centro Europeu do Consumidor
    • Inquérito Satisfação
    • Compete 2020 - Portugal 2020
    • Não paramos. Estamos ON.
    • COVID-19
    66